Qual a hérnia mais perigosa

Qual a hérnia mais perigosa?

16/11/2021
14 Views

Uma hérnia pode ser considerada perigosa quando ocorre o chamado encarceramento, situação em que o conteúdo que saiu por um orifício no abdômen se torna fixo nessa abertura, não sendo possível reposicioná-lo dentro da cavidade abdominal. Outra situação em que a hérnia pode se tornar perigosa é quando ocorre o estrangulamento, ou seja, o conteúdo herniário fica estrangulado, comprometendo o fluxo sanguíneo, o que pode levar à isquemia e à gangrena. Por isso, não sendo tratada de modo correto, a hérnia pode trazer riscos à saúde do paciente, inclusive de morte.

Hérnia mais perigosa

Para compreender essa questão, entenda que no corpo humano há uma camada muscular da parede abdominal que tem a função de proteger os órgãos na parte interna do abdômen. Porém, tanto em homens quanto em mulheres, essa estrutura pode estar enfraquecida e apresentar uma abertura.

Quando um órgão interno impulsiona um orifício no músculo ou no tecido, resulta na hérnia abdominal. Algumas vezes, ela se manifesta no corpo através de uma protuberância. Essa doença pode ocorrer em pessoas que possuem predisposição genética. Além disso, há outros fatores que podem causar hérnia, inclusive uma hérnia mais perigosa, como:

  • Atividades físicas com muito peso;
  • Carregar bolsas ou mochilas pesadas constantemente;
  • Crise de tosse;
  • Esforços extremos;
  • Excesso de peso (obesidade);
  • Fazer musculação com carga muito alta;
  • Força ao defecar;
  • Gestações em espaço curto de tempo;
  • Levantar peso com frequência no trabalho.

Hérnia abdominal: riscos à saúde

Para entender a questão da hérnia mais perigosa é importante compreender os riscos de uma hérnia encarcerada ou estrangulada, já citados anteriormente.

Por isso, a hérnia é uma doença que necessita de atenção e intervenção imediata. Pode atingir pacientes com diferentes tipos de hérnia abdominal: umbilical, inguinal, incisional, epigástrica e femoral.

A hérnia mais perigosa engloba situações de encarceramento e estrangulamento, que geralmente são mais comuns nas seguintes situações: nas hérnias femorais (raiz da coxa), mais comuns nas mulheres, e na hérnia inguinal, que ocorre com mais frequência em homens e se localiza na virilha ou no escroto.

Tratamento para hérnia

Para corrigir permanentemente uma hérnia abdominal é ideal uma cirurgia, que tem como objetivo reposicionar aquela parte do órgão que saiu pela parede abdominal. A intervenção pode ser realizada tanto por uma abertura no abdômen (cirurgia convencional) quanto por videolaparoscopia (pequenas incisões) ou cirurgia robótica (também com pequenos cortes). O especialista indica o tipo de anestesia mais adequado: local, raquidiana ou geral.

Quando não é necessário realizar a intervenção com urgência, a hernioplastia (cirurgia de correção de hérnia) pode ser agendada e agrega tempo para a organização dos preparativos do pré-operatório. Porém, caso a hérnia esteja estrangulada, é considerada uma situação grave que exige tratamento médico especializado com urgência para garantir a plena recuperação do paciente.

Importante realçar, em determinados casos, que a hérnia mais perigosa apresenta sintomas variados, como abaulamento no local, dor abdominal forte, náuseas, vômito e dificuldade para evacuar ou eliminar gases.

Para evitar que uma hérnia mais perigosa ocorra, é importante consultar um especialista assim que o primeiro sinal, geralmente de inchaço no local, aparecer. Assim, o médico pode indicar o tratamento mais apropriado.

Os riscos relacionados às hérnias são graves, podendo provocar danos permanentes na região abdominal e, inclusive, levar ao óbito do paciente, se a situação evoluir para uma hérnia estrangulada sem um atendimento médico emergencial especializado.

Deixe o seu comentário