endometriose

Como saber se tenho endometriose?

A endometriose é uma patologia na qual o tecido endometrial (que reveste a parede interna do útero) é encontrado fora da cavidade uterina, podendo afetar a pelve, órgãos adjacentes e até mesmo outros locais — como o pulmão, em casos mais raros.

Um dos grandes desafios é identificar se a paciente tem realmente endometriose, porque muitos casos são assintomáticos, dificultando uma investigação médica apropriada. Ainda assim, ter mais informações sobre a doença é fundamental para diagnosticá-la precocemente.

Quais são os sintomas da endometriose?

A endometriose é uma patologia estudada há décadas pela comunidade médica, mas que ainda gera muitas dúvidas. Mesmo as causas da condição ainda não são totalmente compreendidas.

A atenção aos sintomas e o acompanhamento ginecológico regular são as principais formas de identificar a condição e fazer o tratamento adequado, minimizando as chances de que ocorram complicações de saúde. Os principais indícios incluem:

  • Sangramento intenso, com aumento do fluxo menstrual ou sangramentos fora do período menstrual;
  • Dor pélvica que pode ser mais intensa durante a menstruação, mas que não se restringe a essa fase;
  • Dores durante a relação sexual;
  • Dor antes dos movimentos intestinais, como ao evacuar;
  • Dor ao urinar ou sangue na urina, caso o endométrio tenha acometido a bexiga;
  • Constipação, diarreia e sangue nas fezes, caso o endométrio tenha acometido o intestino e reto;
  • Infertilidade, caracterizada por mais de 12 meses de tentativas de engravidar, sem uso de contraceptivos e relações frequentes, sem sucesso.

Como foi dito, os sintomas da endometriose são facilmente confundidos com outras patologias, como cistos ovarianos e doença inflamatória pélvica, além de muitas mulheres acreditarem que têm uma menstruação mais dolorida ou irregular, o que justificaria dores frequentes na região e sangramentos anormais.

Por conta disso, as pacientes devem observar alterações ou intensificação dos sintomas e relatá-las ao ginecologista nas consultas regulares.

Como é feito o diagnóstico da endometriose?

Devido à frequência de casos assintomáticos e dificuldade no mapeamento dos sintomas, o diagnóstico da endometriose pode levar anos e prejudicar a qualidade de vida da paciente que não sabe que tem a doença.

Além do acompanhamento ginecológico regular para realização do Papanicolau e outros exames, existem algumas opções para investigar a patologia. São elas:

  • Exame vaginal verificando o aspecto do colo do útero;
  • Exames de sangue para avaliar a dosagem do marcador CA-125 no início do ciclo menstrual;
  • Exames de ultrassonografia transvaginal para identificar focos do endométrio fora da cavidade uterina;
  • Ressonância magnética;
  • Videolaparoscopia com biópsia, que permite confirmar a endometriose, além de verificar sua extensão e gravidade.

O diagnóstico também envolve uma anamnese minuciosa e a avaliação do exame físico.

Quais são as opções de tratamento da endometriose?

Caso haja a confirmação da endometriose, o médico avaliará diferentes fatores para determinar o tratamento mais adequado, incluindo os incômodos com os sintomas, gravidade do caso, desejo da mulher de engravidar, locais nos quais o tecido endometrial está aderente e se é um caso superficial ou profundo.

Para casos superficiais, o tratamento pode ser clínico, com prescrição de medicação hormonal para suprimir a menstruação e combater os focos de endometriose.

Já casos mais graves, como de endometriose profunda, o tratamento pode ser cirúrgico, visando a cauterização dos focos de tecido endometrial fora da cavidade uterina.

Independentemente da gravidade do caso, a paciente com diagnóstico de endometriose deve fazer um acompanhamento ginecológico meticuloso para monitorar a doença e impedir seu agravamento ou complicações.


Confira outras matérias em nosso site sobre Saúde, Moda, Estética e Beleza!
Quem Vê – O seu portal sobre Saúde, Moda, Estética e Beleza!

Deixe o seu comentário