Ritidoplastia

Ritidoplastia: quando apostar na técnica?

A busca pela aparência sempre jovem faz com que cresça o número de pessoas nos consultórios de cirurgiões plásticos. Entre os procedimentos de grande procura está a ritidoplastia, ou lifting facial, cirurgia capaz de corrigir a flacidez, minimizar linhas de expressão e as rugas dinâmicas.

Por se tratar de um procedimento para o rejuvenescimento facial, ele é indicado para pacientes com idade superiora 45 anos e quando os sinais do envelhecimento forem extremamente acentuados. Entretanto, a indicação de uma ritidoplastia deve partir de um cirurgião, sendo que o mesmo deve ser devidamente registrado em órgãos competentes e com especialização em cirurgia facial.

Para quem se interessa pelo procedimento e tem pesquisado sobre o mesmo, elencamos as principais dúvidas acerca da técnica cirúrgica.

Quem pode fazer uma ritidoplastia?

A cirurgia plástica facial de rejuvenescimento deve ser feita após os 40 anos, período em que o efeito da gravidade e do tempo já estão mais evidenciados. É candidato a ritidoplastia pessoas acima dos 40 anos, com rugas dinâmicas, linhas de expressão e sulcos profundos acentuados, elevada presença de flacidez, bochechas caídas, olheiras profundas e bem acentuadas. Todos esses fatores dão ao rosto desse paciente aspecto de cansado e de idade bem mais avançada que a real.

Pessoas que já fizeram outros tratamentos estéticos — aplicação de Botox®, preenchimento com ácido hialurônico, peelings e demais procedimentos para minimizar o efeito do passar do tempo —, também podem ser fortes candidatos ao lifting facial.

Quanto tempo de cirurgia?

Por se tratar de um procedimento de grande complexidade, a ritidoplastia leva de duas a cinco horas. O paciente é anestesiado e a cirurgia só pode ser feita em um centro cirúrgico equipado e com o acompanhamento de uma equipe médica multidisciplinar em ambiente hospitalar.

Caso o paciente faça outro procedimento junto ao lifting facial, esse tempo pode vir a ser bem maior.

O pós-operatório é muito dolorido?

Assim como qualquer cirurgia plástica, a ritidoplastia é invasiva e tem tempo de recuperação estimado em 30 dias. O paciente terá de ficar de repouso, apresentará inchaço e hematomas e deve ficar afastado do trabalho por cerca de 15 dias.

Analgésicos ajudam no alívio da dor, sendo que esse incômodo dependerá ainda do grau de tolerância a dor do paciente.

O resultado é imediato?

Não, pois durante os primeiros sete dias o rosto estará inchado e com hematomas, suturas e curativos. Passado 15 dias, sem pontos e menos inchado é que é possível perceber os primeiros resultados da cirurgia plástica.

Elimina todas as rugas?

Isso dependerá do grau dessas rugas, sendo que pode vir a ser necessário a aplicação de Botox® ou preenchimento com ácido hialurônico para acentuar os resultados da cirurgia plástica. Isso deve-se ao fato de o cirurgião prezar pela naturalidade na técnica, sem parecer que foi feita a plástica.

As marcas podem voltar?

Sim, as marcas podem voltar. Por isso é indicado que o paciente tenha cuidados em casa como: a correta higienização da pele, uso produtos indicados por um dermatologista e não se expor ao sol de forma incorreta. Usar protetor solar é a melhor forma de prevenir o envelhecimento.
Essas são as respostas das principais dúvidas acerca da ritidoplastia. Para falar sobre valores e do procedimento em si, entra em contato com um cirurgião plástico.


Ritidoplastia: quando apostar na técnica?

Confira outras matérias em nosso site sobre Saúde, Moda, Estética e Beleza!
Quem Vê – O seu portal sobre Saúde, Moda, Estética e Beleza!

Deixe o seu comentário