cirurgia de hérnia umbilical

Quando a cirurgia de hérnia umbilical é necessária?

O tratamento medicamentoso é eficaz apenas no controle dos desconfortos causados pelo extravasamento de um órgão interno pela musculatura abdominal. Por isso, a cirurgia de hérnia umbilical é sempre necessária para pacientes diagnosticados.

Atualmente existem 3 maneiras de realizar a cirurgia de hérnia umbilical: a aberta — também conhecida como metodologia tradicional —, a laparoscópica e a robótica. As duas últimas são menos invasivas, exigindo um corte menor no corpo do paciente e possibilitando uma recuperação mais rápida de seu organismo.

A escolha pela metodologia mais adequada para hernioplastia umbilical cabe a um cirurgião especializado. Este profissional deverá avaliar criteriosamente as condições clínicas do paciente e as características da hérnia, apontando assim o tipo de procedimento mais adequado para a resolução do problema.

O que é uma hérnia umbilical?

A hérnia umbilical é um problema relativamente comum e que está associado a um defeito ou enfraquecimento da musculatura abdominal. Esta fragilidade pode levar ao desenvolvimento de um orifício, por onde os órgãos internos podem extravasar.

Como consequência dessa invasão de um determinado órgão interno, o paciente apresenta um abaulamento ou protrusão na região do umbigo. Embora esta seja considerada uma formação anormal, ela normalmente é indolor.

Existem fatores que podem favorecer o enfraquecimento da parede muscular do abdômen, gerando assim a hérnia. São eles:

  • Tabagismo;
  • Doenças do colágeno;
  • Obesidade;
  • Gestação;
  • Tosse crônica;
  • Prática intensa de exercícios físicos;
  • Levantar peso em demasia — seja no trabalho ou na academia.

A cirurgia de hérnia umbilical é sempre necessária?

Como foi citado, a cirurgia de hérnia umbilical é o único tratamento possível para o problema. A intervenção é recomendada para todos os casos, mesmo se o paciente não tiver queixas relacionadas a dor ou qualquer outro tipo de desconforto associado à alteração.

Vale lembrar que uma hérnia de umbigo, quando não tratada, pode evoluir para uma hérnia encarcerada. Nesse cenário, o órgão fica preso ao orifício herniário, o que limita seu fluxo sanguíneo e pode danificar seriamente seus tecidos e funcionalidade.

O encarceramento da hérnia é uma complicação que pode levar à necrose das estruturas, causar perfuração intestinal — caso seja este o órgão afetado — e até mesmo ameaçar diretamente a vida do paciente. Por isso, a cirurgia de hérnia umbilical é sempre necessária, evitando comprometimento à saúde do paciente.

Como é a cirurgia de hérnia?

Como foi citado, a cirurgia de hérnia umbilical pode ser feita a partir de diferentes metodologias. Independentemente do método escolhido pelo especialista, a intervenção é sempre realizada em ambiente hospitalar, com o paciente anestesiado.

O procedimento basicamente consiste no reposicionamento do órgão extravasado e sutura do orifício característico da hérnia. Uma tela cirúrgica geralmente é posicionada para reforçar a musculatura da região e evitar a formação de novas hérnias abdominais.

A cirurgia de hérnia umbilical, portanto, é um procedimento sempre necessário para casos de hérnia na região do abdômen. Para saber mais sobre o assunto e entender como é o pré e pós-operatório deste procedimento, consulte um cirurgião especializado em hérnias abdominais.

Deixe o seu comentário